segunda-feira, 5 de agosto de 2013

CN - RV- EVAN- Se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis?


PALAVRA DE DE DEUS PARA LER E REFLETIR



  (Mateus 5,43-48)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 43“Vós ouvis­tes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’ 44Eu, porém, vos digo: ‘Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem!’ 45Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre os justos e injustos.
46Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? 47E se saudais somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? 48Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor. 
 Comentando e partilhando a palavra de Deus:

 Amar os nossos inimigos... que coisa dificil de fazer!! Como? Se não conseguimos amar, nem os que não declaramos nossos amigos? Como vou amar quem me odeia? Parece impossivel mesmo!! E é realmente!! Só conseguiremos essa vitória; se acolhermos o amor de Jesus em nosso coração. Só assim; podemos amar até os nossos inimigos. Como Jesus ama!!


 Mensagem

CONDIÇÕES DA FÉ


 Quando sua Fé for tão forte e profunda como uma raiz, nada te derruba, nem o vento nem um tufão te arrancam do lugar
A maioria de nós possui uma fé oportunista.
Quando a vida nos aperta e nós cansamos de nos debater em busca de soluções, clamamos por ajuda.
E essa ajuda sempre vem, porque o poder de Deus é infinito.
Mas os Seus anjos só podem chegar até nós, quando encontram em nosso interior a receptividade da confiança,
da humildade, da entrega...
Nesse momento, quando chega esse auxílio, conseguimos vislumbrar o caminho e saímos daquela dificuldade,
daquele impasse.
E lentamente vamos nos esquecendo daquela fé tão forte que nos moveu, daquele desejo tão ardente de estar
com Deus e de agir conforme a Sua vontade, quando a dor passa nós esquecemos.
E vamos, novamente, mergulhando no nosso sono da indiferença, até que surja um novo obstáculo e nós sejamos
mais uma vez confrontados com nossa própria pequenez.
No entanto, a nossa grandeza está em, todos os dias, encontrar essa força interior, deixar que essa chama
de fé e de esperança arda em nosso peito.
A fé verdadeira transforma a vida, transforma o jeito de sentir, de pensar e de agir.
E quando um ser consegue manifestar a sua fé em todos os seus atos, em todas as suas palavras, ele se torna
um com Deus.
E é essa unicidade que nós devemos buscar, trazendo para o nosso cotidiano os atos de fé, de coragem, de confiança
em Deus.
 Noticia 2012
 No ano passado Isso aconteceu

Jovem de 18 anos é proclamada beatificada na Itália

Domingo, 17 de junho de 2012


Cecília Eusepi morreu aos 18 anos
Na tarde deste domingo, 17, na cidade de Nepi, na Diocese italiana de Civita Castellana, será proclamada beata Cecília Eusepi, que morreu apenas aos 18 anos.

Cecilia Eusepi nasceu na Itália no dia 17 de fevereiro de 1910 e faleceu na cidade de Nepi, no dia 1º de outubro de 1928.
Em setembro de 1915 entrou no Mosteiro cistercienses de Nepi. Depois de sua morte, no dia 1° de junho de 1987 foram reconhecidas suas virtudes cristãs heróicas.

“Esta jovem que aspirava se tornar religiosa missionária foi forçada a abandonar o convento por causa de uma doença, que foi vivida com uma fé inabalável, demonstrando a grande capacidade do sofrimento para a salvação das almas nos últimos dias de sua existência, em profunda união com Cristo crucificados, repetia: ‘é lindo dar-se a Jesus, que se dou completamente por nós’”, destacou o Santo Padre depois daproclamação do Angelus, neste domingo.

Milagre

Uma junta médica aprovou por unanimidade, no dia 1° de outubro de 2009, a cura de Thomas Ricci, ocorrida em 4 de agosto de 1959, depois que ele sofreu uma queda acidental. Sua recuperação milagrosa foi a condição necessária para a continuação da causa de beatificação da Serva de Deus Cecilia Eusepi. 

Fonte: Diocese de Civita CastellanaNicole Melhado
Da Redação

 

 Recordando Bento XVI

 O Pálio e a unidade da Igreja


Cidade do Vaticano (RV) - No próximo dia 29 de junho, Solenidade de São Pedro e São Paulo, receberão o Pálio das mãos do Papa Bento XVI, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, o Arcebispo de Niterói (RJ), Dom José Francisco Rezende Dias; de Campinas (SP), Dom Airton José dos Santos; de Porto Velho (RO), Dom Esmeraldo Barretos de Farias; de Teresina (PI), Dom Furtado de Brito Sobrinho; de Uberaba (MG), Dom Paulo Mendes Peixoto; de Florianópolis (SC), Dom Wilson Tadeu Jonck, e de Natal (RN), Dm Jaime Vieira da Rocha.

O Pálio é uma espécie de colarinho de lã branca, com cerca de cinco centímetros de largura e dois apêndices. Nele, estão bordadas seis cruzes. É confeccionado com a lã de dois cordeiros, ofertados ao Papa por freiras no dia 21 de janeiro de cada ano, data da festa de Santa Inês. A lã posteriormente é tecida pelas monjas beneditinas do Mosteiro de Santa Cecília, em Roma.

Nos primeiros séculos da era cristã, o Pálio era usado exclusivamente pelos Papas. A partir do sexto século, passou a ser usado também pelos arcebispos metropolitanos. Os pálios são abençoados pelo Papa e colocados sobre o túmulo do Apóstolo São Pedro, sobre o qual está o altar principal da Basílica Vaticana. No dia 29 de junho, os Pálios são dali levados para a celebração eucarística e colocados sobre o colarinho dos novos arcebispos.

No início de seu pontificado, o papa Bento XVI se referiu ao Pálio com as seguintes palavras: “O pálio diz antes de tudo que todos nós somos guiados por Cristo (…), ao mesmo tempo convida-nos a levar-nos uns aos outros.” O simbolismo da lã pura sobre os ombros recorda o Bom Pastor que leva as ovelhas consigo e, as cruzes bordadas em lã negra lembram as chagas de Cristo e sua Paixão salvadora.

(BF-CNBB)
 Fonte: Rádio Vaticano

Nenhum comentário:

Postar um comentário