domingo, 15 de setembro de 2013

REF B "Oxalá ouvísseis hoje a voz do Senhor: 'Não fecheis os vossos corações'" (Salmo 94).



Vamos ler essas lindas mensagens do Mons. Jonas Abib. Elas com certeza trarão ao nosso coração: paz, esperança e confiança neste grande amor que precisamos cada vez mais. O AMOR DE DEUS!
 

 LEIA E MEDITE:

Cuidado com o orgulho espiritual


 Imagine um lenço branco, seco, limpinho. Se o mergulharmos no azeite, ele ficará tão encharcado que, ao apertá-lo, sairá óleo por todos os lados.
Assim acontece com quem está cheio do Espírito Santo: nós O transmitimos a todos ao redor.

Quando somos batizados no Espírito Santo de Deus, o que passamos para os outros é o próprio Espírito Santo: quando tocamos alguém, é o Espírito quem o toca; quando oramos por alguém, é o Espírito quem ora; quando pedimos, o Espírito pede, age e faz. É dessa forma que acontece a ação dos dons do Espírito Santo Paráclito.

Muitos têm receio do orgulho espiritual. É preciso buscar sempre a humildade. Mas a humildade está nesta verdade: não sou eu quem realizo prodígios, mas sim o Espírito do Senhor, que está em mim! E se Ele quer que eu O leve a tantos que precisam, eu devo levá-Lo.

Deus o abençoe!




Não fecheis os vossos corações

 Neste Salmo está o centro da voz de Deus, e quem diz isso é o próprio Senhor por meio do salmista: "Oxalá ouvísseis hoje a voz do Senhor: 'Não fecheis os vossos corações'" (Salmo 94).

Meus irmãos, está aqui uma revelação do Senhor: "Ouvi a minha voz, e segui adiante por todo o caminho que Eu vos indicar para serdes felizes" (Jeremias 7,23) .

É uma infelicidade o fato de pensarmos que as leis divinas são um fardo para nos fazer infelizes. Por isso, o Senhor nos pede: “Não fecheis os vossos corações”. Aqui, Deus não fala de ouvidos, mas de coração, porque a Ele se ouve com o coração. Por isso é preciso tê-lo cada vez mais aberto, mais dócil, porque é assim, com essa docilidade, que o Senhor vai nos falar e vamos conseguir ouvi-Lo. Ele está nos indicando o caminho, e se o seguirmos seremos felizes.

Tudo o que o Senhor nos ensina, precisamos passar para todas as outras pessoas. Mas se elas não quiserem nos ouvir, temos de rezar por elas, pedindo que o Espírito Santo as ilumine para que ouçam a voz do Senhor e vivam segundo a vontade divina.

"Senhor, tira a surdez do coração de cada um de nós, e, ao pedir isso por nós, pedimos também pelos nossos. Tira a dureza e a desobediência do nosso coração. O que eu peço por mim, Senhor, peço pelos meus, para que eles sejam felizes e para que, na nossa casa, sejamos felizes e ajudemos os outros a serem também".

Irmãos, o Senhor está nos mostrando o segredo da felicidade: ouvir a voz d'Ele e seguir esse caminho. "Mas eles não ouviram e não prestaram atenção; ao contrário, seguindo as más inclinações do coração, andaram para trás e não para a frente" (Jeremias 7,24).

Qualquer pessoa, qualquer família, qualquer nação que não ouve a voz do Senhor ao invés de andar para frente, vai andar para trás. Essas não são palavras dos padres nem do Santo Padre, são do próprio Deus.


Os cristãos não vivem mais na carne. 

"Que diferença faz ser cristão?" Só aqueles que experimentaram podem saber. Os cristãos não vivem mais na carne, mas no Espírito. E, porque vivem no Espírito, as obras da carne vão morrendo, e neles as obras do Espírito vão vivificando. Confira o que diz a Palavra de Deus em Gálatas 5, 16-25 sobre isso.

Essa é a diferença. O termo "carne" é equivalente à natureza humana. Sua natureza envenenada, corrompida por causa do pecado, que sozinha produz esses frutos narrados no versículo 19 de Gálatas 5: libertinagem, impureza, devassidão, idolatria, magia, ódios, discórdia, ciúmes, cólera, rivalidades, dissensões, facções, inveja, bebedeiras, orgias e outras coisas semelhantes. É isso que a natureza humana produz porque foi envenenada, corrompida pelo pecado.
O próprio Jesus afirma: "De fato, é do coração que provêm más intenções, homicídio, adultérios, devassidão, roubos, falsos testemunhos, injúrias" (Mt 15,19).
É do coração do homem que provém tudo isso.Não se pode deixar a natureza humana livre, fazendo o que quer.






Amar é uma atitude 

 A palavra de Deus,  nos diz que devemos obedecer aos pais (cf. Eclesiástico 3,3-7.14-17).
O tentador coloca uma indignação ou incompreensão entre pais e filhos, para destruir as famílias.
O amor não é simplesmente um sentimento, é um verbo ativo, se eu não amo, não acontece.
Assim como numa canção, só se vai ser ouvida quando começarmos a cantar, também só quando começarmos amar é que o amor vai acontecer dentro de nós e vamos sentir os efeitos desse amor.
Precisamos pedir a Deus que tire a indignação, ressentimento e mágoa do nosso coração.
Comece agora mesmo. Decida-se por amar e colha os frutos desse gesto nobre: o amor.

Monsenhor Jonas Abib

Fonte - Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova


Nenhum comentário:

Postar um comentário